Cancelamento da Minnie

Esta era uma daquelas notícias que não queríamos dar. Por várias razões. Muito mais razões do que o simples cancelamento da Minnie & Amigos. Vamos falar do futuro da BD Disney em Portugal.

A maioria dos leitores Disney gosta da revista Disney Especial. Talvez já não se lembrem que começou com o primeiro número sobre o Verão. Sim é verdade com o terceiro número de Verão no mês passado começou mais um ano de vida da série Disney Especial.

Mas o que queria dizer é que o segundo número foi Minnie & Margarida. Uma surpresa para todos. Até porque nunca uma revista da Goody tinha tido no título o nome de uma personagem e muitos acharam estranho começar por essas personagens. Aconteceu uma coisa muito engraçada nessa altura. Muitos leitores disseram que obviamente não iam comprar esse. Sem saber conteúdo. Só pelo título e capa. A capa era infantil e talvez próxima da Casa do Mickey Mouse e é a única Especial com frame e lombada rosa. Isto significava que muitos leitores tinham um preconceito. Sem ler já diziam que não iam comprar nem queriam ser vistos com essa revista. Só por ser da Minnie e Margarida e pelo aspeto todo feminino (a cena rosa buahahahah) da revista.

Sim eram todos masculinos uns crianças outros adultos os que ouvi ou li dizerem isso. Mas na internet quase não há mulheres portuguesas a falar de BD Disney. Assim de repente lembro-me da amiga Sandra e da Sofia. Ponto. E no grupo brasileiro no facebook Disney em quadrinhos só me lembro da Lucila, filha do Ivan Saindeberg. Talvez esteja esquecendo alguém mas há poucas. Assim como autoras a escrever e desenhar histórias Disney. Têm aumentado mas ainda há muitos mais homens. Aliás isso acontece na banda desenhada em geral quer em leitores quer em autores.

E se os leitores achavam que ia ser um flop parece que as vendas agradaram à editora porque 3 meses depois surgiu a revista Minnie & Friends com uma filosofia semelhante.

Leiam agora o que escrevi há 1 ano neste blogue:

«Os velhos do Restelo avisaram… A sério??? Vão fazer uma revista para o público feminino em vez de nos darem o que queremos: mestres Disney, histórias complexas, megassagas e assim por diante??? (esses eram os velhotes que já se tinham cansado de gritar em plenos pulmões por histórias de outros países também).

A Goody insistiu e tornou-se aquilo que já todos os velhotes sabiam: a revista Disney com piores vendas.

As capas eram demasiado infantis e femininas para os velhotes do Restelo comprarem e os que arriscaram a sua reputação verificaram que aquilo tinha mesmo muito girl-power, com histórias da Margarida, Clarabela, Minnie, Vovó Donalda e outras mais, além de histórias com crianças do sexo masculino (Huguinho, Zezinho e Luisinho e Donald Menino, por exemplo).

Mas a verdade é que além daquelas histórias em que os velhotes não arrancaram os cabelos porque alguns já não os tinham, havia algumas histórias interessantes, pois algumas até eram longas e outras tinham boa arte.

Mas 6 meses depois, Minnie & Friends já não chegava às bancas. Foi o fim? A Goody disse que não, que iam fazer uma pausa de um mês, reformular a revista com mais páginas e dar-lhe um novo título mais português Minnie & Amigos mas manter a numeração (na ficha técnica continua a ser Friends o nome oficial da revista).

Eu estava curioso. Será que iam aproveitar o que a revista tinha de bom e explorar mais essa parte? Se iam aumentar as páginas para 320 não iam colocar a revista mais infantil pensei eu.

Mas vamos lá então à nova vida da Minnie & Amigos 7. Capa infantil (e estival). E o interior não mudou em nada. Mais do mesmo. Apenas tem mais páginas. Uma desilusão. Mas isso faz que seja uma revista a jogar para a fogueira? Não!»

E terminava a análise do #7 dizendo que dependia se valia a pena comprar ou não:

«Não tem nenhuma história magnífica mas tem várias boazitas. Se não se importarem com as outras…
Infelizmente é a melhor revista de julho até ao momento.»

E isso era um dado muito importante na altura. Apesar de tudo a Minnie por vezes conseguia ser a melhor revista do mês apesar de ser a que menos era comprada pelos leitores. Não por um grande mérito próprio mas na altura tudo era muito fraco.

Mas depois veio o terrível #8 e eu escrevi:

«Ao ler o número 8 só pensava “porque é que eu falei? não se pode fazer elogios!”. Porquê? Porque desta vez não tinha uma única história boa, variando entre o médio e o mau. E pior… se eu costumo dizer que os leitores Disney masculinos e adultos podem gostar das revistas apesar das capas serem muito infantis (a Abril já largou esse tipo de capas para não afugentar os leitores masculinos, Goody devias fazer o mesmo)… mas dizia eu que se eu costumo dizer isso, desta vez abusaram abusaram e abusaram do mesmo tema, amor para aqui, amor para ali. Até parece que as leitores só pensam numa coisa… Dá nervos ver as leitoras reduzidas a essa ideia.

E agora vocês perguntam. Mas costuma ter algumas BDs de mestres Disney o que é bom para os que colecionam essas histórias, o que traz? Simples… nada!»

Naquela que considerei ser a pior Minnie de sempre escrevi:

«Daqui a 2 meses vou adquirir novamente a Minnie 9 a ver se regressou a melhor caminho. Se continuar assim não sei se volto…»

Estava pronto a largar a coleção dessa revista. Mas então o inesperado aconteceu com o #9:

«Este mês é mês de Minnie & Amigos e a Goody resolveu levar o título à letra e ser amiga dos leitores.

Excelentes histórias, novas personagens, um cuidado pouco habitual em explicar a origem de outras, tudo compilado numa revista que não só agradará às leitoras como aos leitores de barba rija.

Depois do terror que foi o número 8 parece ter havido uma reformulação do rumo a seguir e que grande revista nos deram!!!»

Foi a primeira Minnie de 5 estrelas. E nos números seguintes assim continuou com 4 ou 5 estrelas. As capas continuaram infantis e a apelar às meninas, o índice cheio de corações mas os que eram “homens enough” (buahahah) para não ter vergonha (???!!!) em comprar a revista eram recompensados com excelentes histórias. Foram vários os leitores na net que afirmaram ser a sua revista preferida desde que mudou.

Mas as vendas ditaram o seu fim na mesma. Morreu de pé como uma das melhores revistas Disney mundiais. Mas morreu na mesma :-/

Acho bem a Goody ter tentado que as leitoras do Disney Princesas (a revista da Goody que com os Carros recomeçou a publicar BD Disney depois do cancelamento da Edimpresa muito antes de começar com a Comix e a Hiper)… mas dizia eu que entendo que quisessem que as leitoras que se começam a fartar do Disney Princesas começassem a ler outras coisas fosse BD Disney, Violetta (a revista e a fotonovela), Real Life, etc. Essa tentativa de fidelizar leitores é mais velha que a sé de braga por todas as editoras de bd. Mas parece que as meninas e adolescentes são um público difícil.

Há a revista Winx há muitos e muitos anos em Portugal (chegou a concorrer com as Witch da Disney) mas o que há mais? Real Life: cancelada. Fotonovela Violetta: cancelada. Minnie: cancelada.

Cancelar a Minnie foi menos 1944 páginas de bd disney de qualidade por ano. Sem nada surgir para substituir.

Segundo as últimas notícias que li a editora parece que está a apostar nas meninas mais pequenas: Palace Pets, Doutora Brinquedos, A princesa Sofia. Porque já viu que a faixa etária a seguir não quer nada disso. A aposta na BD está a cair então…

Pelo menos em Portugal. No Brasil existe uma Minnie mais baratinha e com poucas páginas por mês. E se há 1 ano eu dizia que tinha melhorado as capas e conteúdo os últimos 2 números foram capas para meninas e infantis e conteúdo terrível igual ao da primeira fase aqui. Isso significa que há meninas que asseguram a revista. E provavelmente que quando sai algo mais caprichado (que sai também de vez em quando) os meninos compram (se não os mais novos por vergonha pelo menos os adultos porque já os tenho visto dizer que compram e que gostam).

Mas o que me preocupa em Portugal é uma coisa muito diferente. As tiragens da Minnie não são muito diferentes das outras revistas. A revista da Minnie quase foi cancelada há 1 ano, tentaram salvar e não conseguiram.

Também tentaram salvar Simpsons (pioraram papel e menos páginas) e nada adiantou.

Então o que acho que vai acontecer é mau muito mau. Espero que mais pessoas comprem as Comix agora com esta campanha 2 por preço de 1 e vejam que estão 4 e 5 estrelas há muitos meses e depois da campanha continuem a comprar. Mas será suficiente???

No Brasil por vezes os próprios leitores fazem campanhas na net para tentar salvar revistas. Comprar 2 exemplares e dar o segundo a alguém que se acha que vai gostar o suficiente para começar a comprar. às vezes funcionam outras vezes não. Aqui em Portugal nunca vi essas iniciativas e nem acredito que houvesse muita adesão (devia ser quase nenhuma). As pessoas gostam mais de falar mal e colocar tudo para baixo. Parece que é mais fácil dizer que se achou uma BD numa revista má do que dizer que se gostou muito das outras todas. Parece que isso é  quase uma obrigação da editora agradar particularmente com todas as histórias a todos 🙂

Às vezes leio algo que um leitor escreveu e penso que detestou a revista, depois em particular comenta-se o assunto e adorou, só não gostou daquele pormenor :-/ Não é que isso interesse para a performance da revista. Não acredito que falando bem ou mal na net se influencie as vendas. Mas mostra a postura portuguesa. E eu também sou português mas cada vez mais penso bastante antes de falar mal. Digo na mesma o que tenho a dizer mas tento sempre ver o que há de bom (e se não há pronto azar buahahahahah).

Mas o que estava a dizer é que vejo o futuro negro. A Minnie balançou até cair com alta qualidade nos últimos 8 meses. As restantes revistas têm tiragem parecida. Presumo que as vendas também o sejam. Terá sido a Minnie a primeira a tombar e agora é o efeito dominó?

Pode haver quem até gostasse que isso acontecesse. Há gente de má índole e ressabiada em todo o lado e nos leitores Disney portugueses poderá haver um ou outro também. Mas se por acaso lerem isto escusam de ficar contentes. Nenhuma outra editora vai pegar em Disney. Eu acredito que se a Goody diz que não consegue publicar material não-italiano devido ao preço que é verdade. Porque razão seria má vontade??? E se uma editora não consegue não acredito que outra editora o consiga.

Quanto aos portugueses que estão sempre a gabar a Abril e adorariam ter as edições de volta às bancas portuguesas, acordem deixem de viver no passado. Isso não é uma opção, isso não iria acontecer nunca. A Abril já nos abandonou numa fase em que se vendiam muito mais revistas que hoje. As revistas da Abril já são mais caras que as nossas (preço por página). Acham que mandar num contentor e pagar a um distribuidor ia tornar a revista barata aqui? E que a quantidade seria suficiente para compensar? Nem pensar! “A vaca da vizinha tem mais leite do que a minha” já se sabe. E a Abril tem histórias de todos os países e nós não. O que começo a ler é que leitores portugueses já descobriram que as histórias que estão a ser produzidas noutros países não são muito interessantes no argumento. Gostam da arte mais clássica mas fica quase sempre por aí… Eu também gostava de ter histórias de outros países mas não é o El Dorado que muitos julgam ser. E se só pudesse ter de um país era Itália porque prefiro ler histórias boas com arte italiana que coisas mais seca com arte escandinava.

Basta ver as revistas da Abril e vê-se que a grande aposta são as italianas e o resto é mais para encher. Se houvesse excelentes histórias a serem produzidas no norte da europa do Patinhas acham que o comemorativo número 600 não tinha sido diferente? porque acham que colocaram 2 BDs italianas que não são nenhuma obra-prima, que até já tinham saído cá normalmente?

E para os que querem só histórias antigas não acredito que uma editora sobrevivesse só com isso. Aí é só comprar revistas antigas e lê-las. O mais provável é que as personagens de que têm saudades não estarem com novas histórias: Morcego Vermelho, Sir Lock Holmes ou outros personagens de que se sente a falta. Mesmo o Zé só sai 1 nova por mês e há quem goste dos argumentos e quem não goste.

Mas isso é já falar da cena italiana e não é para aqui chamada. O que temos é italiano. Ponto. Estamos com revistas de qualidade invejável em qualquer país do mundo. Mas se as vendas não aumentarem não acredito que haverá muito mais BD Disney em Portugal e acho mesmo que aí encerra de vez até daqui a muitos e muitos e muitos anos alguém se lembrar…  mas ou coloca as revistas a um preço estratosférico para ter bd de todos os países ou volta tudo ao mesmo antes de ruir…

O que podes tu que estás a ler este texto fazer para aumentar as vendas? Pelo menos falar das coisas que gostas nas revistas a pessoas que achas que podem vir a comprar. Ter uma atitude positiva e promotora.

Há quem esteja sempre a falar mal das revistas e muito raramente bem mas acha que apoia porque compra. Isso apenas mantém as vendas, não as melhora. Estar sempre a falar mal aos outros não é promover as revistas pelo contrário.

Não é nada de mais falar do que gostamos aos outros. Não se está a impingir nada. Se achamos que a outra pessoa pode gostar porque não lhe dizer para experimentar ler uma BD Disney da Goody? O pior que pode acontecer é não ler ou ler e não gostar. Amigos como dantes 🙂

Quanto a ti Goody continua assim com a qualidade excelente das histórias. Se melhorares capas e gafes gráficas e outras melhor ainda. E tenta agradar na medida do possível um pouco a todos (ninguém que a mesma coisa, mas publica diferentes géneros, diferentes personagens, coisas mais recentes e mais antigas, para todos terem alguma coisa). Se toda a BD Disney portuguesa tiver que morrer que morra assim, repleta de qualidade… de pé!!!

Anúncios

4 thoughts on “Cancelamento da Minnie

  1. Paulo, eu sou daqueles que sempre fui crítico em relação às opções da Goody. Detesto a opção pelo material italiano, e sei que foi uma questão monetária, mas continuo a ter dúvidas se foi uma decisão acertada a médio / longo prazo. Quantos leitores perderam por causa disso? Compensa a poupança que fazem a montante? Não sei.

    Por outro lado, quem lê o que escrevo nestes grupos, acho que me fará a justiça de concordar que também elogio as coisas que eles fazem bem.

    Como já escrevi aqui, a aposta num revista chamada Minnie sempre foi um paradoxo para mim, e estava, desde o início, condenada ao falhanço. Mas, por outro lado, os seus últimos números foram do melhor que já se editou por aqui, em termos de conteúdo, e eu até disse que era a minha revista favorita entre todas as da Goody. O que a matou foi o péssimo conteúdo até ao nº 8, que afastou muitas das (poucas) pessoas que ainda a decidiram comprar, e o título e capas infantis e açucaradas demais.

    Eu, por exemplo, comprei o nº 1 por curiosidade, e desisti. Só voltei a tentar no nº 9, porque li que estava excelente. E só depois comprei as seguintes, e todas as anteriores que tinha saltado. Mas quantos leitores fizeram o mesmo?

    A mesma revista, com o mesmo conteúdo, mas com um visual e título diferentes, poderia ter resultado. Uma Minnie e Amigos com capas para bebés do sexo feminino, não.

    Quanto aos outros títulos, os rumores que tenho ouvido fazem-me esperar o pior.

    Se a Goody desistir da Disney, ficarei muito triste. Com a Goody redescobri o prazer de ler Disney de forma regular, em vez de ler só quando encontrava uma revista antiga da Abril na Feira da Ladra ou algo parecido.

    Mas se isso acontecer, a culpa não será apenas do tamanho do mercado, nem das pessoas que falam mal. A Goody nunca me pareceu estar neste projecto com uma visão a longo prazo (e o que sei, confirma essa sensação), e cometeu erros a seguir de erros nos primeiros tempos, alguns de forma continuada e teimosa.

    Qualquer publicação periódica começa com mais vendas do que consegue manter, isso é sabido. Mas o trambolhão que as tiragens sofreram foi muito maior do que poderia ter sido, se eles soubessem o que estavam a fazer, ou sequer estivessem abertos a ouvir quem os tentava alertar.

    Não nos esqueçamos da qualidade abismal das edições durante (pelo menos) o primeiro ano, a escolha bizarra do tema do 2º Disney Especial (e o nível das histórias), enfim.

    Quem se aguentou a comprar tudo, ou quase, fê-lo mais por amor à causa do que pelo prazer que as revistas davam a ler. Eu, por exemplo, só agora estou a pegar nas Hiper e Comix mais antigas, pois durante muito tempo apenas comprava e guardava.

    É verdade que agora as coisas melhoraram muito, mas infelizmente talvez seja um caso de demasiado pouco, demasiado tarde.

    É a falta de visão típica de muitos empresários do burgo a fazer estragos de novo… 😦

    Gostar

  2. Bom, antes de mais, uma correção ortográfica: «sé de braga» = «Sé de Braga». xP
    Agora, os meus parabéns, foi o melhor texto que eu li até agora no COLEÇÃO DISNEY! Continua assim! ;D
    «Assim de repente lembro-me da amiga Sandra e da Sofia. Ponto. E no grupo brasileiro no facebook Disney em quadrinhos só me lembro da Lucila, filha do Ivan Saindeberg.»
    No DISNEY EM QUADRINHOS, tens mais algumas mulheres, mas só participa esporadicamente, a única que o faz com regularidade é a Lucila Saindeberg. :\
    Bom, antes de mais, estou mais otimista e menos apreensivo em relação ao futuro da publicação de BD DISNEY normal em Portugal, eu acho que estão a passar por uma fase de restruturação – como disse alguém, o mercado de BD DISNEY é pequeno em Portugal, e resolveram sacrificar uma publicação de BD DISNEY, tendo, neste caso, sido a MINNIE & AMIGOS. Mas espero (e mais pessoas também) que eu que esteja correto! ;-P
    Quanto à publicação de só BD DISNEY italiana em Portugal, está bem que a melhor produção de BD DISNEY atual é a de Itália, mas acho que se pode pode publicar BD DISNEY de outros países – basta selecionar as melhores, como estão a fazer no geral para a BD DISNEY italiana (meio «off-topic»: a atual BD DISNEY brasileira, pelo que vejo, ganha em qualidade, mas perde em variedade – acho que já está na altura de se produzir no Brasil histórias de BD DISNEY além das dos «Papagaios»)! ;D

    Gostar

  3. Comecei a comprar a Minnie mal saiu, mas depois dos dois primeiros números comecei a pensar no dinheiro que gastava por mês nas BD’s disney e pensei qual a revista que ia deixar de comprar (pela qualidade) a Minnie para mim morreu ali, às vezes ainda folheava no quiosque a ver se a qualidade melhorava, mas não! 😦
    Quando vi o comentário do Paulo sobre a Minnie e Amigos 9 não hesitei e comprei-a, depois comprei a 10 e depois voltamos à mesma história do dinheiro e acabei por sofrer algumas Hiper para poder comprar a Minnie.
    Depois tive de esquecer a Minnie para poder comprar aquelas Hiper com as histórias de 2001 do MMMM e do SuperPato!
    No final, até fiquei surpreendido com esta notícia devido à qualidade da revista nos últimos números!

    Gostar

Comenta aí...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s